Central de Atendimento: 0800 704 1528      |

Redes Sociais:
  

Central de Atendimento:

Vistoria técnica faz toda a diferença no controle de pragas urbanas

O avanço do homem sobre os territórios ocupados por animais faz com que tenhamos que conviver, cada vez mais, com as pragas urbanas no nosso dia-a-dia – tornando essencial o investimento em ferramentas de controle. Ele pode ser feito de diversas formas, e a adequação de técnicas e estratégias a cada problema é essencial para o sucesso desta batalha contra as pragas.

Este é o papel fundamental desempenhado pelas vistorias técnicas, responsáveis por analisar, planejar, executar e monitorar as consequências do trabalho de desinfestação e prevenção das pragas urbanas. As estratégias visam a realização do controle de pragas de forma eficiente, duradoura e segura para o homem. Ou seja: as vistorias técnicas aliam inteligência e eficiência na busca pela saúde dos ambientes residenciais e de trabalho.

Estratégia: palavra-chave do controle de pragas urbanas
O tipo de praga encontrado em um determinado local determina quais os métodos, produtos e dosagens mais adequados para o estabelecimento do controle sobre ela. Outros fatores, como o número de colônias e o tipo de ambiente também influem neste processo.

Uma padaria, por exemplo, é considerada um local propício para a proliferação de baratas – que podem ser combatidas por meio da pulverização de inseticidas, ou de iscas em gel. A primeira opção proporciona uma cobertura mais generalizada, enquanto a segunda combate a praga com foco objetivo, em lugares estratégicos.

Neste caso específico, considerando o fluxo constante de clientes e a exposição dos funcionários ao ambiente por diversas horas consecutivas, é mais indicado que se utilize o gel no maior número de ambientes possível e a pulverização em horários alternativos, como a noite, evitando a perda de clientes e problemas relacionados ao bem estar dos funcionários.

Reincidência: o problema está na sua estratégia
A recorrência – e consequente aumento – dos problemas com as pragas urbanas ocorre com frequência naqueles casos em que o controle é feito de forma desregrada. Este é um claro sinal de falhas na estratégia traçada para o combate: lembre-se que a capacidade de adaptação das pragas é enorme. Elas utilizam as estruturas e hábitos construídos pelo homem para simular o seu habitat natural, e a forma com que abordamos o controle sobre elas deve ser tão dinâmica quanto as suas habilidades de transformação.

Em ambientes com presença de roedores, por exemplo, podemos observar na prática o efeito bumerangue como fruto da má gestão estratégica do controle de pragas urbanas. Nestes casos, a população aumenta nos meses seguintes à desratização em função da sobrevivência de parte da população inicial. Os recursos de sobrevivência se tornam abundantes, ampliando a fertilidade e proporcionando o desenvolvimento ideal dos filhotes.

As pragas urbanas se reproduzem em alta frequência. Os ratos, por exemplo, chegam a ter 12 gestações em um ano, com o nascimento de 7 a 12 novos indivíduos em cada um destes ciclos. Estes filhotes se tornam totalmente reprodutivos em cerca de três meses após o seu nascimento, dificultando o controle destas pragas em específico e o monitoramento do ambiente inicial.

 Otimização do controle de pragas urbanas: paciência e monitoramento
Uma boa estratégia passa pela análise e monitoramento do ambiente a ser desinfectado. Afinal, somente desta forma é possível considerar todos os fatores de risco antes da escolha e aplicação do produto – reduzindo, desta forma, a ocorrência de erros, o desperdício de recursos e os danos ao bem-estar do homem.

O Controle Integrado de Pragas (CIP), feito pela Uniprag em conjunto com os seus clientes, permite que o trabalho de monitoramento feito pela vistoria técnica tenha sequência a partir do consumidor. Assim, além da exterminação das pragas urbanas nos ambientes de risco mencionados anteriormente, atingimos a excelência de prevenção de recorrências.

O diferencial técnico das equipes especializadas

Uma das principais vantagens de se contar com uma vistoria técnica especializada no combate às pragas urbanas é evitar as aplicações sistemáticas sem sentido. O monitoramento para identificar o problema e corrigi-lo a partir de suas características fundamentais, de forma inteligente e planejada, torna o processo mais suave e objetivo.

Lembramos aqui que, por maiores que sejam os cuidados empregados na escolha e fabricação dos produtos utilizados no combate às pragas, a maioria deles ainda consiste de substâncias químicas que, se utilizadas em excesso, podem contaminar os ambientes.

Assim, uma equipe especializada tem como objetivo, além da desinfectação e preocupação com as recorrências, por si só, o cuidado com a saúde das pessoas que ficarão expostas àqueles ambientes durante boa parte dos dias seguintes ao trabalho de dedetização.

 Espécies diferentes requerem estratégias diferentes

É impossível traçar uma estratégia de controle adequada sem levar em conta as sutilezas encontradas no meio das pragas urbanas. Apesar de conhecermos cada um desses animais apenas por um nome – ratos, baratas, escorpiões, carrapatos, etc – o meio urbano apresenta uma variedade relativamente maior de espécies, que possuem hábitos diferentes e, portanto, requerem planos de combate distintos.

Dentre os exemplos abordados neste artigo, as baratas têm duas variedades, enquanto os roedores, três. Cada um deles pode ser encontrado em locais diferentes e, por mais que o controle seja basicamente com o mesmo produto, a forma de aplicação, frequência e dose variam conforme as especificidades de cada um deles.

Decifrar este complexo quebra-cabeças é uma tarefa para as vistorias técnicas que, ao oferecer a sua expertise, agregam inteligência, velocidade e organização ao processo de combate às pragas urbanas – seja na sua residência ou no seu ambiente de trabalho.

Agora que você já está familiarizado com a importância da estratégia – e o papel que as vistorias técnicas cumprem no estabelecimento delas – aposte nos melhores parceiros para a desinfectação dos seus ambientes. Entre em contato com a Uniprag e saiba mais!

*Texto originalmente publicado no LinkedIn por Michel Pasolius, biólogo da Uniprag.

    CATEGORIAS:
Dicas Legislação Notícias

LIGUE PARA A UNIPRAG MAIS PRÓXIMA DE VOCÊ

Ou envie-nos uma mensagem pelo formulário abaixo: