Central de Atendimento: 0800 704 1528      |

Redes Sociais:
  

Central de Atendimento:

Como montar uma estratégia de controle eficiente para roedores

Os roedores são considerados como pragas urbanas e podem causar grandes problemas para a saúde humana e animal quando se encontram em ambientes indevidos. Pensando nisso, resolvemos orientar você sobre a importância do controle eficiente dessa praga urbana. Seu problema pode ser solucionado de maneira simples, porém, é preciso encontrar e apostar na estratégia certa para combater o problema.

As três espécies de roedores urbanos mais comuns no Brasil são as ratazanas (Rattus norvegicus), os camundongos (Mus musculus) e os ratos de telhado (Rattus rattus). Esses circulam por lugares com temperatura e condições propícias de sobrevivência e com disponibilidade de abrigo, principalmente se neste mesmo local houver fácil acesso à água e alimento.

Seu sentido mais aguçado é o tato. Por meio do atrito do pêlo com algum objeto, o roedor consegue identificar diferentes locais, saber qual direção deve seguir e reconhece, por exemplo, o melhor abrigo para viver. Seu olfato e paladar também são importantes. Podemos dizer até que um roedor nunca vai comer um alimento impróprio para consumo, pois ele sabe distinguir o que está bom e o que já está estragado somente pelo cheiro.

Por ter o corpo muito flexível, uma ratazana, por exemplo, consegue se locomover no interior de canos e tubulações e, pelos canos de esgoto pode invadir uma casa ou escritório por meio do vaso sanitário, afinal, esses animais, quando estão nadando, percorrerem distâncias de até 800 metros. Além disso, seus hábitos são noturnos, então é importante ficar atento às movimentações durante a noite. Acumular lixo orgânico por dois ou três dias pode atrair esses roedores, assim como esquecer alguma janela aberta.

Mas como prevenir que na sua casa, em um ambiente corporativo ou industrial os roedores não entrem e causem danos? Conheça as melhores medidas de controle e saiba quais são as técnicas corretas e as formas apropriadas para combater a infestação de roedores:

– Controle químico: a desratização feita com uso de raticidas é um dos métodos mais utilizados para combater essa praga. Seu uso é bastante seguro e é importante que técnicos da Uniprag, capacitados a utilizar da melhor forma esse produto, resolvam o problema. O número de visitas necessárias para eliminação de uma infestação e o intervalo entre uma e outra pode variar de caso para caso.

– Métodos não químicos: em pequenas infestações é possível controlar os roedores com a utilização de armadilhas especiais, que são a evolução das ratoeiras, estações adesivas (placas de cola) ou outros dispositivos de captura, como as portas iscas ou pelo túnel de apreensão.

– Manejo adequado: a presença de ratos pressupõe a existência de condições que favorecem a sua sobrevivência, como água, alimento, abrigo e acesso. Porém, esse ambiente pode ser protegido por meio de pequenos reparos e adequações: a limpeza e a organização do ambiente, o correto acondicionamento do lixo, a instalação de telas nas janelas ou de barreiras de metal fixadas na base de portas, assim como a vedação de vãos junto a canos e a eliminação de vazamentos, fios e cabos que dificultem a entrada de ratos.

 

Estratégia: entenda como funciona um processo de desratização eficiente

A desratização é um dos métodos mais indicados para combater os roedores urbanos. Vamos explicar a você como funciona:

Quando o raticida está em um porta isca ou no túnel de apreensão, o roedor entende o raticida pode ser ingerido. Porém, depois que o produto químico está no organismo do animal, pode demorar de 5 a 7 dias para ser efetivo. E agora você deve estar se perguntando: “mas demora todo esse tempo?” Sim, essa demora faz parte da estratégia. Se o raticida fizer efeito instantâneo, os outros roedores podem perceber que aquilo que foi ingerido (neste caso, o raticida) não pode servir de alimento e passam a procurar outro tipo de refeição e não vão ingerir o raticida. Agora, se os roedores não perceberem a causa é muito mais fácil eliminar uma infestação.

Outra situação que pode acontecer é o efeito bumerangue, quando alguns meses depois de praticada uma operação de desratização ocorre um aumento no número de roedores no local. Entenda como ele funciona:

Se em um ambiente onde vive um número equilibrado de roedores (com abrigo e acesso a alimento suficiente para todos) você aplica uma estratégia de desratização da maneira incorreta o efeito do raticida não será igual para todos e somente alguns roedores vão ser eliminados do local. Porém, o alimento que supria antes a fome desses roedores passa a sobrar e os hábitos dos roedores mudam. As fêmeas entram em cio e este será totalmente fértil, pois os recém-nascidos não serão canibalizados, desenvolvendo-se normalmente. Isso pode até triplicar o nascimento da espécie, ocorrendo, justamente o efeito contrário, ao invés de eliminar os roedores do local, eles acabam se reproduzindo em maior quantidade.

E nós sabemos que os roedores são muito prolíferos. Com oito a doze gestações por ano, o período de gestação leva cerca de três semanas para ninhadas de sete a doze filhotes, que em dois ou três meses de idade já estão aptos para a reprodução. Ou seja, a tendência é que aumente cada vez o número de roedores no ambiente.

Por isso, alertamos: conte com o auxílio de profissionais para aplicar a estratégia de controle dos roedores correta. Somente assim é possível agir de forma preventiva e utilizar estratégias corretivas para eliminar as pragas urbana.

Agora está mais claro? Não hesite em procurar a Uniprag! Encontre a melhor solução para o seu problema, entre em contato.

    CATEGORIAS:
Dicas Legislação Notícias

LIGUE PARA A UNIPRAG MAIS PRÓXIMA DE VOCÊ

Ou envie-nos uma mensagem pelo formulário abaixo: